Respiração na musculação

11 07 2012

Na hora de fazer os seus exercícios de musculação, é necessário levar bastante em conta sua respiração. Confira dicas realmente importantes que você não pode deixar de lado durante seus treinos e lembre-se que respiração correta acarreta na melhora do rendimento durante os exercícios.

Existem três tipos de respiração diferentes. A respiração continuada, também conhecida como respiração livre, é toda a respiração natural, quando não há uma preocupação durante o movimento. Depois vem a respiração ativa, quando o atleta inspira no começo da força (fase concêntrica) e expira durante a finalização (fase excêntrica). A respiração passiva é nada mais do que a respiração ativa feita de forma inversa.

Por último, finalmente, temos a respiração apnéica ou bloqueada. Esta é a mais “delicada” por assim dizer. Ela deve ser aplicada com certa precisão, assim como deve ser evitada. Como o próprio nome já diz, ela ocorre quando o atleta segura a respiração por um tempo durante o movimento. Ela eleva a pressão sanguínea. O ideal é que se aplique as respirações ativas e passivas, assumindo assim um certo controle.

A respiração continuada não deixa de ser boa, mas aplicá-la sempre, pode acabar prejudicando a performance. Então, qual é o melhor delas para se aplicar durantes os treinos? Bem, aí depende do tipo de exercício. Claro que o corpo sempre se comporta melhor na respiração livre, mas num exercício completo, ela não pode ser usada todo o tempo.

A oxigenação do sangue não pode parar. Pense bem então, quando a respiração é bloqueada com os pulmões cheios, logo no primeiro esforço, todo aquele ar se transforma em CO2 que deve ser trocado imediatamente. Ainda mais porque ocorre o aumento de pressão sanguínea, fazendo com que o sangue circule muito mais rápido pelo corpo, pegando oxigênio para as células e liberando gás carbônico.

Respiração bloqueada/apnéica, sempre eleva a pressão sanguínea. E esse fator deve ser lembrado. Com a respiração mais controlada durante a atividade física, o controle da elevação de pressão pode ser muito bem amenizada. Por isso, procure primeiramente expirar e depois inspirar.

O oxigênio principalmente serve para conservar a consciência do atleta, depois serve para manter suas células ativas. E como se não bastasse, é o oxigênio que faz o serviço de converter o carboidrato e gorduras estocados nos músculos em energia. Já pensou que a sua capacidade física pode acabar sendo reduzida pela metade, somente pela má respiração? Pois então, assegure-se de que ela está sendo bem executada. Isso vale para qualquer tipo de exercício físico, mas sabemos que quando entra a questão de trabalho com pesos, o cuidado deve ser máximo. Até porque uma boa respiração assegura o bom rendimento e evita fadiga precoce ou em demasia. Por isso agora vamos fazer um pequeno resumo final, a fim de deixar tudo mais claro.

Para começar o nosso resumo, podemos fazer a seguinte sequência: Expire o ar durante o levantamento de peso e depois inspire quando estiver baixando.Durante exercícios como agachamento, trancar a respiração pode ser feita na hora da concentração, pois com a caixa torácica cheia, o equilíbrio fica mais facilitado.

Seu corpo revela se você está respirando direito :
 
1. Olhe para o abdômen e para o peito: qual dos dois estufa primeiro? Se for o abdômen, perfeito. Do contrário, acalme-se e tente corrigir. A respiração pelo peito é chamada de curta ou alta. É de pouco fôlego e provoca ansiedade. No seu dia a dia, tente se observar. Treinando a respirar pela barriga, logo o exercício torna-se automático.
2. Infle o abdômen na respiração e murche quando expirar. Solte o ar mais lentamente do que inspirou, aumentando a eliminação de gás carbônico e abrindo espaço nos pulmões para a entrada de oxigênio.
3. A respiração correta faz o seguinte caminho: começa pelo abdômen, chega até a região das costelas e, por fim, atinge o tórax. Praticá-la é a melhor receita contra a famosa dor de lado , porque os movimentos diminuem a tensão no músculo do diafragma, envolvido na respiração. Quando a troca de ar é alta, este músculo é obrigado a se contrair e relaxar em intervalos muito curtos, gerando um espasmo espécie de cãibra que ocasiona a terrível dor na lateral do abdômen.

Abaixo um exemplo para treinar sua respiração:

Respiração natural é aquela que os bebês já nascem sabendo e que se torna errada ao longo da vida.
– Deite-se de costas, em superfície dura, descanse as mãos sobre o abdômen, relaxando todos os músculos.
– Expire vigorosamente pelas narinas e encolha o abdômen em um movimento inicialmente mecânico até que seu corpo esteja habituado à respiração correta.
– Inspire lentamente pelas narinas, deixando que o ar preencha completamente o abdômen. Eleve-o, em seguida. Dessa maneira, o diafragma abaixa e abre-se maior espaço para os pulmões. Você não deve sentir movimentos de expansão nas costelas ou no peito. Durante o processo, o abdômen é o único a se movimentar.

Agora é lembrar destas dicas e recomendações na hora de começar o seu treinamento. Seja na sequência de levantamento de peso, até o aquecimento.

Abraços e Bons Treinos.

Fonte: Sérgio Nunes – Qualifis / Planetbuscas.net

Editado: By Felipe Almeida

Anúncios