Como a obesidade afeta o seu corpo

20 02 2013

Os problemas gerados pelo excesso de peso aumentam conforme o IMC. Calcule o seu e conheça os riscos.

Click na foto e irá abrir uma nova janela mostrando o Infográfico.

IMC

Bom treino!! ;D

Fonte: Site Ig

Editado: Felipe Almeida

Anúncios




3 exercícios prejudiciais aos ombros

8 11 2012

Estava eu lendo sobre o alto índice de lesões na musculação e percebi que realmente é grande o número quando se trata dos ombros, só porque um exercício é bom para um músculo, não quer dizer que ele seja bom para os seus ligamentos.

Há alguns fatores que devem ser levados em conta na realização do exercício em si: adoção da técnica de execução inadequada, cargas inapropriadas e um volume alto de treinamento, dito isso, resolvi postar três exercícios que estariam “condenados” ao grande número de lesões.

1º DESENVOLVIMENTO POR TRÁS DA NUCA

É fato que o desenvolvimento por trás da nuca é ótimo para estimular o crescimento dos deltoides, porém muitas pessoas esquecem os “pequenos músculos” e trabalham somente os chamados “grandes músculos”. O ombro oferece uma vasta variedade de movimentos, permitindo movimentos bastante amplos. Ele trabalha em uma cavidade (glenoide) rasa, e sua estabilização se dá mediante a ação de ligamentos e pelos músculos do manguito rotador. O manguito rotador é na verdade uma união dos tendões dos músculos supraespinhoso, infraespinhoso, subescapular e redondo maior.

O principal problema com o desenvolvimento por trás, é que ele é um movimento feito com os ombros em uma abdução externa e horizontal máxima. Em outras palavras, você é forçado a fazer o movimento no limite dos ligamentos do ombro e talvez ai esteja o grande erro de muitos, já que alguns estudiosos dizem que as lesões nesta região são fruto, muitas vezes, do excesso de uso na prática esportiva e/ou principalmente da falta de sincronia entre os músculos do manguito rotador.

2º REMADA ALTA EM PÉ

Igualmente ao exercício anterior, a remada em pé faz um ótimo trabalho em estimular os músculos mediais do deltoide e a parte superior do trapézio. Infelizmente, este exercício também faz um ótimo trabalho em causar ou agravar a síndrome do impacto no ombro. O que é essa síndrome? Resulta de uma pressão na musculatura do ombro (manguito rotador) exercida por parte da escápula quando o braço é elevado.
Resumindo, esse exercício no momento em que você eleva os braços, acaba inflamando o tendão supra-espinal, devido a pressão contínua contra o acrômio acima dele.
Uma dica para “amenizar” o prejuízo é fazer esse exercício com halteres, pois assim, aumenta a distância da pegada no momento da elevação dos braços Isto é menos danoso às articulações do ombro comparado a remada em pé com barra.

3º ENCOLHIMENTO DE OMBROS EM PÉ

Antes de mais nada vamos entender esse movimento: Para executá-lo, a pessoa permanece ereta, segurando pesos e elevando os ombros o mais alto possível, e posteriormente abaixando os ombros, sem dobrar os cotovelos. É um exercício usado para desenvolver o músculo do trapézio. Agora vejamos o que acontece quando a pessoa faz a execução do movimento errada. Quando o ombro é “girado” para frente, ao fazer isso, você acaba movendo a linha de força para o lado anterior e longe do trapézio e este é o ponto crucial para prejudicar sua musculatura., talvez ao fazer esse movimento você só mostra para os demais na academia que não sabe nitidamente o que está fazendo.

Mais uma dica se persistir em girar o ombro, gire para trás, não é tão eficaz quanto a fazer o movimento correto, pelo menos não é inútil como girar para frente.

MAIS UMA VEZ, não estou dizendo que é proibido fazer determinados exercícios e sim ter uma atenção a mais perante alguns. É óbvio que muitas pessoas nunca tiveram problemas com esses exercícios, da mesma forma que existem pessoas que bebem e fumam direto e nunca tiveram nada. Nos dois casos você está apostando e a sorte nem sempre anda junto, pra que arriscar né?

Ótimo treino para todos!

;D

Fonte: Hipertrofia e Musculaçãototal

Post by: Felipe Almeida





8 tipos de pessoas que nos envergonham na academia

24 10 2012




Música no exercício físico, interfere ou não?

31 08 2012

Há quem diga que não, mas ouvir música durante uma atividade física é, comprovadamente, um grande incentivo e fator motivante para aqueles que querem treinar. O pesquisador Costas Karageorhies, é um especialista em música e exercício. Segundo uma pesquisa coordenada por ele, ouvir música durante uma atividade física pode aumentar o rendimento em até 15%. Uma das explicações para isso é a distração. “O estímulo das batidas da música bloqueia algumas das mensagens que a musculatura e alguns órgãos vitais enviam para o cérebro e isso acaba reduzindo a percepção do esforço”.

Já um médico de Tóquio, o Dr. Norio Owaki, que estudou durante 10 anos certos tipos de pautas sonoras, descobriu que a música altera a atividade das ondas cerebrais. Uma música pode fazer você se esforçar mais ou menos, dependendo do ritmo e se é ou não do seu gosto musical.

Ou seja, enquanto seu corpo tenta avisar que você já está prestes a desistir e ainda falta muito para completar o exercício na esteira, por exemplo, o cérebro está ocupado prestando atenção na música que você está ouvindo.

O pesquisador Costas Karageorhies, ressalva que apenas em um momento do exercício, a música se torna ineficaz: quando a capacidade aeróbica ultrapassar 75%. Nesse ponto, ocorre uma alteração involuntária de atenção do externo (música) para o interno, a partir disso, você irá sentir suas pernas pesarem como troncos de árvores, e nesse caso, o silêncio vale ouro.

Como eu escrevi no início do post, algumas pessoas são contra, entre elas está o sociólogo do esporte e treinados. Na opinião é preferencial treinar sem ouvir música, pois temos e precisamos ouvir o nosso corpo em cada etapa do exercício, para termos uma noção de como estamos em relação à fadiga, ao ambiente, estar alerta, escutar e sentir o nosso corpo.

Abaixo listei alguns prós e contras dos dois especialistas citados no post, em relação a música e o exercícios físico.

PRÓS:

  • Estudos demonstram que ela reduz a percepção de intensidade do exercício em cerca de 10 – 15%
  • Bloquear alguns dos estímulos internos, como mensagens sobre fadiga enviadas por músculos e órgãos
  •  Eleva aspectos positivos do humor, como entusiasmo e felicidade, enquanto reduz aspectos negativos, como tensão, cansaço e confusão.
  • Podem aliviar o tédio na esteira
  • Quanto menos se percebe o esforço, menor o tédio

CONTRAS:

  • Distancia dos outros sons produzidos pelo ato de correr, como a respiração e o impacto das passadas, que são informações preciosas
  • Afasta a pessoa do ambiente em que ela está.
  • Reduz sua atenção e aumenta seu tempo de reação.
  • Tornar dependentes de música.
  • Pode-se chegar a um ponto em que você perde a noção daquilo que é realmente motivador para você, como a sensação de energização provocada pela corrida.
  • Você fica desconectado do exercício.

Pra mim, é errado usar?  De jeito nenhum, ouvir música durante a prática do exercício é muito estimulante, além de contribuir para a melhora do ritmo e até da performance, mas o importante é saber como usar para que não ocorram efeitos desagradáveis futuros.

Então a minha dica é: na hora de escolher as músicas, leve em conta o seu gosto pessoal. Mas, como sugestão, prefira musicas eletrizantes. Já no aquecimento com os alongamentos iniciais e procure manter o ritmo durante toda a atividade. No final, coloque músicas calmas e relaxantes (de sua preferência) juntamente com os alongamentos finais.

Bom treino a todos!!!

Fonte:  Blog Dicorpo e Blog Comerbebertreina

Elaborado por Felipe Almeida





Os tipos de mulheres que frequentam a academia

22 08 2012

Clique nas fotos, leia atentamente e identifique se!! ;P

 

 

Bom treino a todos!! ;D

 

Fonte: Revista Corpo a Corpo

Editado: Felipe Almeida





Os tipos de pessoas que frequentam a academia…

22 08 2012

 

 

 

 

Bom treino a todos! ;P

Fonte: Parafernalha





Mulheres e suas restrições ao treino para os braços

21 08 2012

Como meu post anterior foi direcionado aos homens, recebi alguns pedidos para que meu próximo post fosse para as mulheres. Resolvi então seguir na mesma linha de raciocínio e dar uma chamada nas mulheres.

Por que as mulheres não treinam os braços?

Nas academias, é muito comum encontrar mulheres interessadas  somente no treinamento para aumentar seus glúteos, coxas e definição no abdômen, porém a parte superior de seus corpos é esquecida. Um exemplo é o tríceps, onde essa região tem grande tendência para reter gordura, praticamente acumula 60% de toda a massa muscular do braço.
Milagres não acontecem, para ter uma musculatura enrijecida é preciso fazer exercícios para essa região, isso leva tempo e requer disciplina, dedicação e lógico um programa ideal de treinamento e uma boa alimentação, a sonhada definição acontecerá sem perder nenhuma traço de feminilidade.
Um detalhe que vale a pena lembrar, é que o treinamento de membros superiores, incluindo os braços, promove um gasto calórico maior através dos exercícios, o que é bom para reduzir gordura de forma geral também favorecendo o descanso de outras partes do corpo já treinadas em dias anteriores.
Qual mulher, após finalizar o exercícios do agachamento no aparelho, precisou de uma ajuda do instrutor para encaixar a barra de volta no lugar? Faltou força nos braços né!?
Os braços são músculos como qualquer outro e se você não os treina, eles ficarão flácidos e sem força.
Pra que treinar braço???
Por dois motivos:
Simetria: Quanto mais simétrico uma corpo, mais bonito. Não é feio quando vemos um “homem-rã” com o tronco enorme e as pernas finas?? Pois então, também é estranho ver uma mulher com coxas e glúteos enormes e um tronco esquelético com braços finos e flácidos. Por isso mulheres, temos que buscar a harmonia entre tronco e pernas, para que o conjunto fique mais simétrico e esteticamente bonito de se ver.
Postura: Os músculos tem a função de sustentação do esqueleto. Sem os músculos, nosso esqueleto desmontaria no chão, pela ação da gravidade. Então quando a musculatura esta fraca, há uma queda postural, uma vez que os músculos mal conseguem sustentar o peso do esqueleto. É por isso que é normal ver pessoas cifóticas (corcundas) ou com outros desvios posturais. Muitas vezes, é falta de fortalecimento da musculatura do tronco e cintura escapular. Mais um motivo pra tomar coragem e treinar os braços com mais vontade!
Como deixar meus braços fortes e definidos?
Bom, primeiro é preciso definir qual é o seu objetivo:
a) Quero aumentar o volume muscular dos meus braços: Ótimo! Se é este o objetivo, então o treino é de HIPERTROFIA. A principal característica deste treino é a alta intensidade, ou seja, prepare-se para colocar CARGA! Realize séries de 8 a 12 repetições, com a “carga justa”. Ou seja, se o objetivo é fazer 10 repetições, é preciso ajustar a carga para 10 repetições máximas (10 RM), sem ter condições de fazer 11. É executar o movimento de forma correta, até a falha concêntrica, até o esgotamento muscular.
b) Quero apenas deixar meus braços rigidos e definidos: Tranquilo! Para aquelas que não querem aumentar o volume muscular dos braços, o treino é de RESISTENCIA MUSCULAR. Neste treino, o volume de repetições é maior, logo a carga utilizada deve ser menor. Realize séries de 15 a 20 repetições, com a “carga justa”. Não é porque o objetivo é resistência que pode ficar usando aqueles pesinhos coloridos de 1 kg, ok?! Se são 15 repetições, a carga deve ser ajustada para 15 repetições máximas. Não tem moleza! Desta forma, é possível enrijecer, tonificar e definir os braços, sem contudo aumentar o volume muscular.
Meninas, não tenham medo de ficar muito fortes, pois ainda que quisessem, não é tão fácil assim! Ocorre que as mulheres não possuem um quadro hormonal propício para promover tanta hipertrofia muscular a este ponto, certo?
Como finalizei meu outro post:
Mulher que é mulher treina braço sim!!!
Bom treino para todas!!!
Editado:  Felipe Almeida