Música no exercício físico, interfere ou não?

31 08 2012

Há quem diga que não, mas ouvir música durante uma atividade física é, comprovadamente, um grande incentivo e fator motivante para aqueles que querem treinar. O pesquisador Costas Karageorhies, é um especialista em música e exercício. Segundo uma pesquisa coordenada por ele, ouvir música durante uma atividade física pode aumentar o rendimento em até 15%. Uma das explicações para isso é a distração. “O estímulo das batidas da música bloqueia algumas das mensagens que a musculatura e alguns órgãos vitais enviam para o cérebro e isso acaba reduzindo a percepção do esforço”.

Já um médico de Tóquio, o Dr. Norio Owaki, que estudou durante 10 anos certos tipos de pautas sonoras, descobriu que a música altera a atividade das ondas cerebrais. Uma música pode fazer você se esforçar mais ou menos, dependendo do ritmo e se é ou não do seu gosto musical.

Ou seja, enquanto seu corpo tenta avisar que você já está prestes a desistir e ainda falta muito para completar o exercício na esteira, por exemplo, o cérebro está ocupado prestando atenção na música que você está ouvindo.

O pesquisador Costas Karageorhies, ressalva que apenas em um momento do exercício, a música se torna ineficaz: quando a capacidade aeróbica ultrapassar 75%. Nesse ponto, ocorre uma alteração involuntária de atenção do externo (música) para o interno, a partir disso, você irá sentir suas pernas pesarem como troncos de árvores, e nesse caso, o silêncio vale ouro.

Como eu escrevi no início do post, algumas pessoas são contra, entre elas está o sociólogo do esporte e treinados. Na opinião é preferencial treinar sem ouvir música, pois temos e precisamos ouvir o nosso corpo em cada etapa do exercício, para termos uma noção de como estamos em relação à fadiga, ao ambiente, estar alerta, escutar e sentir o nosso corpo.

Abaixo listei alguns prós e contras dos dois especialistas citados no post, em relação a música e o exercícios físico.

PRÓS:

  • Estudos demonstram que ela reduz a percepção de intensidade do exercício em cerca de 10 – 15%
  • Bloquear alguns dos estímulos internos, como mensagens sobre fadiga enviadas por músculos e órgãos
  •  Eleva aspectos positivos do humor, como entusiasmo e felicidade, enquanto reduz aspectos negativos, como tensão, cansaço e confusão.
  • Podem aliviar o tédio na esteira
  • Quanto menos se percebe o esforço, menor o tédio

CONTRAS:

  • Distancia dos outros sons produzidos pelo ato de correr, como a respiração e o impacto das passadas, que são informações preciosas
  • Afasta a pessoa do ambiente em que ela está.
  • Reduz sua atenção e aumenta seu tempo de reação.
  • Tornar dependentes de música.
  • Pode-se chegar a um ponto em que você perde a noção daquilo que é realmente motivador para você, como a sensação de energização provocada pela corrida.
  • Você fica desconectado do exercício.

Pra mim, é errado usar?  De jeito nenhum, ouvir música durante a prática do exercício é muito estimulante, além de contribuir para a melhora do ritmo e até da performance, mas o importante é saber como usar para que não ocorram efeitos desagradáveis futuros.

Então a minha dica é: na hora de escolher as músicas, leve em conta o seu gosto pessoal. Mas, como sugestão, prefira musicas eletrizantes. Já no aquecimento com os alongamentos iniciais e procure manter o ritmo durante toda a atividade. No final, coloque músicas calmas e relaxantes (de sua preferência) juntamente com os alongamentos finais.

Bom treino a todos!!!

Fonte:  Blog Dicorpo e Blog Comerbebertreina

Elaborado por Felipe Almeida